terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

9 - "apetecia-me assim... um granda bife...com batatas"

- Sempre pensei que não estivesses a dormir quando chegasse... - enquanto me mexia no cabelo, o Sergio teve este comentário. Teria eu dormido assim tanto? Abri lentamente os olhos e vi que ele estava a centímetros de mim a sorrir-me.
- Mas...são que horas?
- Exactamente meio dia.
Oh jesus...nunca tinha dormido até ao meio dia. Nem nas minhas folgas do trabalho.
- Dormi assim tanto?
- Não te esqueças que tomaste o comprido ontem à noite... - pois! O comprimido que o médico me tinha dado que dava um sono daqueles!
- Tenho fome...
- Vamos almoçar então. Toma um duche e veste-te, eu faço o almoço e depois... podíamos ir sair.
- Sair? Sim! Sim! - cheguei-me perto dele e dei-lhe um beijo. Senti-me feliz! Estar o dia de ontem todo em casa não tinha sido nada fantástico.
- Mas tens de prometer que amanhã descansas.
- Sim. Eu prometo – o...instinto protector do Sergio deixou-me...confortável. Nunca nenhum rapaz, à excepção do Afonso que sempre me tratou como sua irmã mais nova, me tinha tratado desta maneira.
Enquanto o Sergio foi fazer o nosso almoço, eu tomei um duche e vesti-me. Estava frio, como tenho saudades do Verão! 

Fui até à cozinha e...cheirava...a...peixe cozido!? Nada do que me apetecia...estava a imaginar assim um belo bife com batatas fritas e ovo...fiquei com água na boca, mas o Sergio tinha feito peixe cozido com legumes. 
- Ontem fugiste da dieta, mas hoje tem de ser... - comentou ele. 
- Não me apetece nada.
- Mas foi o que o médico te mandou fazer...uma dieta. 
- Sim...mas apetecia-me assim... um granda bife...com batatas – comecei a sonhar com o que queria comer e o Sergio colocou-me a especialidade do dia na mesa. 
- Deixamos isso para quando estiveres melhor – disse dando-me um beijo na testa e sentando-se à minha frente com o mesmo comer que eu. 
- Tu não estás de dieta. Podes comer outra coisa. 
- Faz bem. 
O comer nem estava assim tão mau...era, sem dúvida, saudável, mas o bife e as batatas não me saiam da cabeça. Depois de limpar a cozinha, o Sergio já tinha feito o suficiente e eu é que estava a ser a intrusa na sua casa, saímos de casa. 
- Tu não gostas de saltos, já vi.
- Porque dizes isso?
- Cada vez que saímos assim mais tranquilamente estás sempre mais baixa – ele riu-se e eu não pude deixar de me sentir...observada. Ele nota em todos os meus detalhes?
- Pelo contrário. Eu amo saltos...só não quero é fazer má figura. 
- Má figura?
- Eu não sei andar com eles. 
- Não foi isso que eu vi ontem...que ideia é essa?
- Não sei...só que me sinto estranha com eles. 
- Temos de tratar desse pormenor. 
- Porque? Não posso ser mais baixinha?
- Podes...mas acho que as mulheres são mais atraentes se estiverem de saltos. 
- O que? - mas que raio de conversa era aquela?
- É verdade. Uma mulher de salto fica super elegante.
- Então eu estou uma lástima.
- Nada disso – ele abraçou-me e colou os nosso lábios – és linda de todas as maneiras que já te vi...mas de salto dá outro ar.
- Sergio...se não fosses futebolista podias ser consultor de moda não?
O Sergio riu-se, deu-me um beijo e abriu-me a porta do carro.
- Acho que estás mesmo a precisar de apanhar ar. Já não dizes coisa com coisa. 
- Tu é que estás apanhado. 
Entrei no carro e o Sergio também o fez. Começou a conduzir e levou-me a sítios maravilhosos. Super calmos, sem muita gente por lá, pudera, com o frio que estava...
Segundo o Sergio, fomos mais cedo para casa...pelos vistos ele ainda deveria querer ir a mais algum sítio, mas estava mesmo muito frio. Assim que entramos em casa a diferença de temperaturas foi notória e estava-se muito melhor ali. O Sergio foi até à cozinha e eu fui atrás...estar com ele era...bom! Ele estava a tentar tirar algo do móvel e o seu corpo estava...perfeito. Era simplesmente digno de ser observado, de ser tocado, beijado, deliciado e acariciado. O Sergio despertou em mim um desejo de prazer imediato que eu nunca tinha descoberto e levava-me a desesperar por não o conseguir ter. Mas...eu preciso tanto! Acho que...o meu coração, ele próprio que ficou fraco com o “exercício” também deseja por bombear ao ritmo do coração do Sergio. Fui até ele, passei-lhe as minhas mãos pelas costas, dando-lhe alguns beijos nas mesmas, mesmo que por cima da roupa. 
- Estás à procura de alguma coisa? - perguntou-me.
- Já achei – passei as minhas mãos para a barriga dele e deslizei-as sentindo todas as suas saliências.
- Ainda não passou uma semana... - disse ele, agarrando-me nas mãos.
- Passaram dois dias e eu preciso de ti – ele virou-se para mim, beijou-me e pegou-me ao colo com uma subtileza que lhe era tão característica. 


O Sergio começou a caminhar...beijando-me e deixando-me cada vez mais...entusiasmada. Ele sabia os meus pontos fracos, sabia o que me dava prazer e fazia-o como ninguém. Foi até ao seu quarto e deitou-me na cama, colocando-se em cima de mim sem me magoar.
Os momentos seguintes foram dignos de puro prazer e de louvar aos deuses. Super calmo, mas prazeroso. Foi diferente das outras vezes. O Sergio ia com calma, estava sereno e aproveitamos e deliciamo-nos com cada segundo que passava. Só quando os nossos, mais o meu, corações começaram a vibrar em demasia é que demos aquele momento por “terminado”. Ficamos ali juntinhos um ao outro, sem vontade nenhuma de sair daquele nosso e tão estimado lugar.


5 dias depois...
-Tens a certeza que queres ir embora? - perguntou-me o Sergio.
-Querer não quero, mas tenho de ir ver a correspondencia que tenho em casa e preciso de mais roupa.
-Sabes que tens o roupeiro ao fundo do corredor só para ti.
-Mesmo assim. Preciso das minhas roupas...e preciso de ir ao cabeleireiro. A Ana Moreira precisa de ser mulher de uma vez.
-Hã?
-Esquece Sergio...são só 3 dias. Eu volto – estava a precisar de ir a Lisboa. O médico tinha dito que o que se tinha passado era apenas um caso único e que o meu coração estava perfeito e saúdavel. Agora era tempo de ir a Lisboa, ver correio, tratar de mim...sentir-me a nova Ana que o Sergio tinha feito nascer. Eu antes preocupava-me em demasia com o trabalho, em ser uma Maria-rapaz para que não fosse inferiorizada pelos meus colegas, mas, desde que ando com o Sergio, que ele me fez perceber que eu sou uma mulher, de 24 anos, que está a “deixar a sua beleza de lado para ser valorizada” - segundo ele.
Saí de Madrid e em menos de duas horas já estava em Lisboa. As “bombas” do meu relacionamento com o Sergio já tinham feito correr muita tinta...em Espanha, em Portugal...até na China! Pelo que, onde existissem paparazzi sabiam perfeitamente quem eu era. Fazia-me imensa confução. Tudo bem que sendo jornalista antes, já tinha algum conhecimento, mas assim...a este nível...é assustador.
Por sorte, ou falta de informação, quando cheguei a Lisboa não tinha ninguém a fazer-me uma espera, por isso, fui direitinha a minha casa. O correio já enchia a caixa. Peguei em todos os envelopes, jornais, publicidades e fui até ao meu apartamento.
Já tinha saudades do facto da minha casinha ser pequena. Ainda me perdia em casa do Sergio...nunca me dei bem com mansões.
Antes de fazer alguma coisa em relação às cartas, liguei para uma amiga minha que era cabeleireira e pedi-lhe para que me ajudasse a mudar. A ser mais...feminina. Tinha de ser naquela tarde, ela estava livre, assim como eu.

(Sergio)
Entendi que a Ana tivesse de ir a Lisboa, mas não entendi o que ela quereria fazer com o facto de ser “mulher de uma vez”. Ela era uma mulher dos pés à cabeça! Por dentro e por fora...não sei onde é que ela ia buscar aquelas ideias que de vez em quando tinha.
Nos três dias que esteve em Lisboa, pelo que ia falando com ela, pude perceber que estava bem, estava bastante alegre e entusiasmada com algo, mas não me disse nada do que a deixava assim...afirmou que quando chegasse a Madrid a surpresa era melhor.
Contribui um pouco para a sua “mudança” mandando-lhe um pequeno presente, que a deixou...nem sei, porque ainda não tinha falado com ela e só tinha partilhado o meu presente pelo twitter:

Um facto: mulheres com saltos são elegantes #namorado”
Hoje era dia de ela regressar, mas enquanto não era hora de a ir buscar, aproveitei para ir dar uma volta com o Ozil, um grande companheiro e um grande amigo.
-Como é que está a Ana? - perguntou ele. Ainda não os tinha apresentado...é um facto. Mas o Ozil era como um irmão e apoiava-me.
-Está bem...anda toda entusiasmada com alguma coisa, mas ainda não me disse nada.
-Será que arranjou trabalho?
-Pois...secalhar.
Continuamos a nossa caminhada, fomos abordados por alguns fãs, até que paramos no quiosque...o Ozil era viciado em ler jornais e tinha de comprar um.
-Eu sei que só a vi em fotos...mas aquela é a Ana, certo? - perguntou-me, apontando para uma revista.
Era...era a Ana na capa da revista mais cor de rosa de Espanha. Peguei nela, paguei-a e comecei a pesquisar do que se tratava.

Pode ser pequena em tamanho (tendo apenas 1,59 cm) mas começa a demonstrar agora os seus atributos.
Ana Moreira, a namorada de Sergio Ramos, parece ter encontrado o seu trabalho do futuro. É isso mesmo, a menina bonita que costumava ser jornalista, decidiu despir-se de preconceitos e aceitou participar numa campanha fotográfica para a revista “Maxim” em Portigal, bastante...ousada. Segundo ela própria “é altura de ser uma verdadeira mulher”. Resta dizer que Sergio Ramos deve...ser um namorado bastante...orgulhoso dos atributos da sua menina”.

-Eu preciso desta revista... - a Ana...numa campanha fotográfica? Isto não era nada dela.
Pedi ao senhor do quiosque se tinha aquele revista...e, para meu espanto, tinham mandado vir de propósito aquela edição da revista por ela estar lá.
Eu e o Ozil pagamos as nossas coisas e fomos até um café que ali estava. Assim que nos sentamos comecei a folhear a revista até que...a encontrei. Era...sem dúvida...ousado. Para além de não ser...nada o género da Ana. Ela estava diferente. Tinha mudado o cabelo, tinha a pele mais morena...seria isto o que ela me tinha para mostrar?
-Sabias disso mano? A tua miúda tem cá... - olhei para ele antes que pudesse comentar. Quando mais folheava a revista...mais a vontade de lhe perguntar o que tinha entravado na garganta crescia.






Estava na hora de a ir buscar ao aeroporto. Fechei a revista e fui, de carro, até ao aeroporto de Madrid. Esperei por ela no carro, não queríamos criar uma confusão dentro do aeroporto.

(Ana)
O resultado da sessão fotográfica deixou-me...orgulhosa de mim. Sentia-me bonita, atraente, uma mulher completamente à vontade. Sem dúvida que foi a melho proposta que me tinham feito e a melhor decisão que tinha feito em aceitar. Deixou-me mais à vontade com a minha imagem e, agora, só tinha vontade de mostrar o resultado ao Sergio.
Assim que aterrei em Madrid, despachei-me a recolher a minha bagagem e a dirigir-me para o exterior...os paparazzi estavam presentes, mas não passei cartão nenhum. Só queria chegar ao sitio que tinha combinado com o Sergio.
Assim que avistei o seu carro, as minhas pernas ganharam vida e pareciam que estavam a agir sozinhas e em menos de nada já estava a entrar no carro.
-Olá, olá, olá, olá, olá – eu estava, sem dúvida, entusiasmada por estar de volta, mas quando olhei para o Sergio percebi que ele não estava assim tão bem.
-Foi para isto que tens andado comigo?

6 comentários:

  1. Olá, olá, olá, olá, olá digo eu xD

    Bem, eles são uns fofinhos! O coraçao quando estao juntos dá sempre para mais! ahahahah

    Quando vi a teoria do Sergio sobre saltos altos, mais me parecia uma fantasia ou algo do genero xD

    Adorei a mudança da Ana e a produção dela! Agora o Sergio, cheira-me que os ciumes o levaram a interpretar as coisas pelo lado errado, mas estou confiante que a Ana o poe no sitio xD
    Quero o proximo!

    Besito
    Ana Santos

    ResponderEliminar
  2. :O
    Realmente a Ana conseguiu surpreender!
    Mas esta pergunta do Sérgio, acho que ele não gostou muito!!
    Preciso do próximo com urgência!
    Bjokinhas
    Mariaa

    ResponderEliminar
  3. a serio q eles vao se chatear?! ele vai pensar que ela o usou... ja tou mesmo a ver :(

    ResponderEliminar
  4. Ui! Então??
    Tinha de acabar agora??
    Oh eu queria saber como vai ser a conversa destes dois...
    Cheira-me pela pergunta do Sérgio que isto vai dar para o torto...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Olá :)
    Bem esta mudança foi verdadeiramente surpreendente :o
    Mas não quero que o Sérgio fique chateado :|
    Escreve o próximo rápidoo

    Beijinhos
    Daniela ^^

    ResponderEliminar